• Filipe Adão

Princípio da coerência: menos material para melhor aprendizado

A regra do "menos é mais" para focar mais na mensagem que você deseja transmitir e menos no entretenimento.

Você já trabalhou em um curso de e-learning e pensou consigo mesmo: “será que eu devo adicionar alguns elementos interessantes ou divertidos para aprimorar esse tópico chato?” Ou talvez você tenha encontrado um especialista no assunto tão convencido de que todo último pedacinho de informação importava e você não tinha permissão para cortar gordura. De qualquer forma, o resultado é o mesmo: seu curso termina com conteúdo que não necessariamente suporta os objetivos de aprendizado.


Embora isso possa não parecer grande coisa, de acordo com as evidências apresentadas por Ruth Clark e Richard Mayer em seu livro E-Learning and the Science of Instruction, informações estranhas podem realmente ter um impacto negativo no aprendizado. Vamos olhar mais de perto?


Por que menos é mais quando se trata de aprender?


A pesquisa de Clark e Mayer mostra que a adição de conteúdo - como texto, gráficos e efeitos sonoros - estritamente para entreter os alunos ou fornecer informações "agradáveis ​​de conhecer" pode realmente dificultar o aprendizado. Isso ocorre porque o conteúdo desnecessário:


  • Desvia a atenção do aluno das mensagens principais e direciona-a para informações “mais interessantes”, mas menos importantes, tornando o aluno menos provável de lembrar do conteúdo principal.

  • Interrompe as conexões entre as principais mensagens, tornando difícil para o aluno reuni-las e entender o quadro geral.

  • Desvia o foco do aluno, levando-o a tentar entender as informações estranhas em vez das principais mensagens.

Basicamente, qualquer informação que não apoie os objetivos do curso - por mais interessante que seja - distrai o conteúdo principal e leva a piores resultados de aprendizado.


Mais recursos


Em suma, menos é mais. Adicionar mídia aleatoriamente pode prejudicar o aprendizado, portanto, seja cuidadoso com seu design. Resista à tentação de apimentar seu curso com sinais ou sons desnecessários e certifique-se de eliminar qualquer informação "agradável de saber" para que os alunos possam se concentrar nos pontos-chave.


Se você quiser aprofundar-se nesta e em outras práticas recomendadas baseadas em evidências para o design de e-learning, vou trazer nos próximos posts um resumo de alguns outros princípios de Clark e Mayer.


Se está gostando da série de princípios de Clark e Mayer, não deixe de conferir os outros artigos.


Série: Prinípios de Clark e Mayer


Até o próximo post!


Traduzido e adaptado da comunidade E-learning Heroes.

Todos os direitos reservados Filipe Adão | E-learning & Design © 2020

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube