• Filipe Adão

Modelo de treinamento ADDIE: O que é e como você pode usá-lo?

O modelo ADDIE de design instrucional é usado por designers instrucionais em todo o mundo como parte de suas sessões de aprendizado on-line, off-line ou mesmo blended learning. Mas, para entender completamente o que é, primeiro você precisa entender o que são modelos de design instrucional.


O que são modelos de design instrucional?


São metodologias que fornecem diretrizes e estruturas de criação para rotinas de treinamento aos designers.


Um modelo de design instrucional é baseado em cenários pedagógicos. O único objetivo é alcançar metas instrucionais, para que os trainees possam adquirir conhecimento e retê-lo. Portanto, quando os designers instrucionais precisam determinar as etapas exatas de seu procedimento de treinamento, eles recorrem aos modelos de design instrucional.


Atualmente, existem mais de vinte e cinco metodologias prescritivas de design instrucional comumente aceitas. Os mais utilizados são:


  • ADDIE

  • Dick e Carey

  • Assure

  • O modelo Kirkpatrick

  • Modelo Gerlach-Ely

  • TPACK e mais


O que todos eles têm em comum?


De acordo com Branch e Merrill (2002), os modelos de design instrucional devem consistir em:


  • objetivos claros e bem definidos.

  • resultados mensuráveis, confiáveis ​​e válidos.

  • dados que são o coração de todo o processo; portanto, os designers devem mantê-los empíricos.

  • um esforço de equipe durante o design.

  • comportamentos da vida real dos alunos, aplicáveis ​​a problemas do mundo real.

O modelo de treinamento ADDIE atende a esses requisitos? Claro que sim.

Vamos olhar mais de perto para ADDIE agora.


Definindo o modelo de treinamento ADDIE


Então, o que significa "ADDIE"? Basicamente, "ADDIE" vem de uma sigla simples. Por ser um modelo de treinamento em cinco etapas, seu nome se refere aos cinco estágios diferentes incluídos no processo de criação de um curso. Esses são:


1. A nálise

2. D esign

3. D esenvolvimento

4. I mplementação

5. E valuation (Validação)


Todas as etapas devem ser feitas nessa ordem exata, mas as revisões são partes integrais do modelo geral. Então, estamos falando de um padrão circular que se repete até que os alunos atinjam a perfeição. Além disso, devido à última etapa do modelo de aprendizado ADDIE, você recebe todo o feedback necessário para continuar melhorando suas habilidades e a experiência dos alunos.


Em geral, quando falamos sobre o processo ADDIE geral, não estamos nos referindo a um modelo de design instrucional em si. É, na maioria das vezes, o processo principal que a maioria dos designers instrucionais escolhe para criar cursos e material de aprendizagem. Em outras palavras, se o restante dos modelos fosse um corredor competitivo a distância, o ADDIE seria o estádio. É exatamente por isso que os usuários mais sofisticados preferem chamar o ADDIE de um modelo de Design de Sistemas Instrucionais (ISD), porque a maioria dos modelos de design instrucional existentes se baseia nele.




As 5 etapas do modelo de treinamento ADDIE


Para especificar completamente como um instrutor pode se beneficiar do modelo ADDIE, precisamos dar uma olhada nos cinco estágios principais que ele compreende. Cada estágio é acompanhado por algumas dicas, caso você esteja se perguntando como usar o ADDIE para desenvolver um curso de treinamento ou esteja interessado na aplicação do modelo ADDIE.


1. A é para análise


No começo, houve pesquisas. Tudo começa com isso, afinal, não é?

A primeira coisa que você deseja fazer é analisar o campo de treinamento atual e ver as lacunas de conhecimento dos alunos, o treinamento passado, o que funcionou, o que não funcionou etc. Essa é realmente uma das fases mais essenciais do processo de treinamento.


Você pode até se perguntar sobre o objetivo de seu treinamento. Portanto, exceto na situação atual, é necessário analisar os objetivos e expectativas do seu programa, bem como a mídia e metodologias que você usará.


Parece intimidador? Não se preocupe! Tenho uma excelente dica para você. Um método que a comunidade jornalística nos deu generosamente.


Quando os repórteres desejam escrever uma história, eles se fazem seis perguntas que devem ser abordadas assim que o artigo começa. Esta é a regra dos "5 W e 1 H"(Who – “Quem” / What – “O que” / When – “Quando” / Where – “Onde” / Why – “Por que?” / How – “Como”).


Trazendo para nossa realidade, basicamente significa:


  • Quem vai receber a sua formação? (Analise seus estagiários)

  • Qual será o seu treinamento? (O contexto do seu treinamento)

  • Quando vai acontecer? (Defina um prazo imediatamente)

  • Onde isso vai acontecer? (Você entregará on-line ou em sala de aula?)

  • Por que você está fazendo isso? (Os objetivos do seu treinamento)

  • Como você vai fazer isso? (A metodologia e os requisitos)


Se você tiver uma resposta clara para cada uma dessas perguntas, bem como uma análise geral da situação atual, você concluiu seu plano e o primeiro passo. Vamos continuar!


2. D é para Design


Você sabe qual é o primeiro passo no processo de treinamento ADDIE. Agora é hora de transformar a teoria (Análise) em ação (Design).


A primeira coisa que você deseja fazer é decidir qual formato você usará. Será uma simulação, um teste simples com interação mínima, um curso em vídeo? O modelo ADDIE é ótimo para criar cursos, mas é você quem precisa determinar que tipo de curso será.


Em segundo lugar, a metodologia e a estratégia da sua entrega de treinamento. Em que ordem você destacará cada seção do seu treinamento? Você instruirá seus estagiários primeiro (treinamento preliminar) para motivá-los? Quanto tempo eles precisam para concluir seu curso? Podem parecer perguntas simples, mas precisam de respostas antes que você possa começar a criar seu protótipo.


Depois disso, você deve garantir que seu curso esteja pronto para ser seguido. Ainda não o solte. Teste-o com os membros de sua equipe para ver se você precisa fazer pequenos ajustes (ou mesmo significativos) e concluir a visão geral do produto final.


3. Outro D para o Desenvolvimento


Desenvolva para se engajar: esse deve ser o seu mantra da terceira etapa.

A etapa de Desenvolvimento nada mais é do que colocar em ação todas as ideias e os principais designs criativos que você planejou. Todas as decisões que você tomou durante o estágio de Design agora funcionarão como guias para a fase de Desenvolvimento.


Polir os detalhes, adicionando ilustrações, cores, gráficos, multimídia, etc. Certamente o nível de envolvimento dos alunos aumentará.


A fase de desenvolvimento precisará de muitos testes. Crie seu curso e comece a testá-lo para verificar se não há erros gramaticais, de sintaxe ou de ortografia e, se estiver usando uma plataforma de aprendizado on-line, se não há bugs nos módulos, na navegação etc.


Uma última coisa que você pode querer verificar é o seu conteúdo. É muito longo? Talvez curto demais para incluir todas as informações de maneira compreensível de maneira perspicaz? E o fluxo e o ritmo? Isso chama a atenção dos seus alunos?


4. Implementação


Agora que você concluiu sua pesquisa, projetos e testes, é hora de compartilhar seu curso com o mundo. A implementação é sempre uma das etapas mais importantes do processo de treinamento. Mas veja como as etapas do processo de treinamento ADDIE estão conectadas:


1. O estágio da análise determina a própria natureza do seu curso.

2. Na fase Design, você determina como toda a lição se desenrola.

3. Durante o desenvolvimento, você coloca tudo em ação e o testa.

4. Agora, na Implementação, alunos reais experimentam seu curso em primeira mão.


Se você está se perguntando como implementar um programa de treinamento, um LMS é a resposta.


Um eficiente software LMS (Learning Management System) ajudará você a compartilhar seu curso com o público e a monitorar o desempenho dele. Você precisa ver quantos usuários se inscreveram nos seus cursos? Aqueles que passaram ou falharam? Ótimo! Um LMS parece uma solução perfeita para você.


Mas apenas um aviso. Ao escolher um LMS, você precisa garantir que as ferramentas de relatórios estejam realmente no ponto para poder monitorar o desempenho e o progresso dos alunos. E o monitoramento é essencial no ADDIE porque é disso que se trata a etapa final:


5. Finalmente, Validação


Não acredite, nem por um segundo, que quando estamos falando de validação , estamos falando de você avaliar alunos. Você também está sendo avaliado! Este é o poder do ADDIE. Que você pode realmente monitorar os resultados, melhorar a si mesmo e se tornar um melhor designer instrucional. Se você achar que algo não está certo, basta revisá-lo.


Uma solução rápida para ver se o seu curso foi bom ou ruim é pedir aos seus próprios alunos. Faça uma pesquisa no final do curso e pergunte sobre a experiência deles, o que aprenderam até agora, que sugestões podem ter e muito mais. Identifique as lacunas que você precisa preencher e resolva-as imediatamente, neste curso específico ou no futuro.


Os benefícios do modelo de treinamento ADDIE (e UMA desvantagem)


Sabemos que apresentar os benefícios de um modelo universalmente aceito parece tentar convencê-lo de que Michael Jackson foi um ótimo artista. Eles são todos muito óbvios!


Mas, caso você seja novato em design instrucional, aqui está uma breve lista das vantagens do modelo de design instrucional ADDIE:


  • Primeiro, com o ADDIE você nunca se perde. A estrutura é tão pontual que os instrutores sabem que ação eles precisam tomar antes de você se mudar para outro.

  • É ótimo para aprendizado online, offline e blended learning.

  • Os treinadores podem avaliar objetivos e resultados para descobrir qual parte do curso precisa de mais atenção.

  • Em um setor cheio de tecnicidade, a ADDIE coloca o design onde ele pertence (também conhecido como processo principal de criação) para envolver cada vez mais alunos.

  • É o Pai de todos os modelos de design instrucional, por isso combina todos eles juntos.

Agora, em relação à (s) desvantagem (s), alguns designers instrucionais não ficam realmente fascinados com a ideia dessa abordagem linear e o modelo em cascata que o ADDIE promove. O que está parcialmente correto.


Para usar totalmente o modelo ADDIE, você deve estar familiarizado com os objetivos do seu curso. Para dizer a verdade, o ADDIE supõe que você conhece todos os seus objetivos e exigências antes de começar a desenvolver ou mesmo experimentar seu conteúdo. O motivo? Você pode simplesmente passar de um estágio para outro, mas só pode avançar em um movimento circular. Como resultado, é somente quando você chega ao estágio de Avaliação que é livre para voltar a uma das etapas anteriores para revisá-la.


Portanto, no estágio Análise, você precisa se analisar e verificar se sabe o que deseja que seus alunos e você obtenham do procedimento geral.


Conclusão: O processo de treinamento ADDIE vale a pena.


Sejamos realistas, modelo de treinamento ADDIE é uma das opções mais sólidas e seguras se você deseja criar cursos que instruam e envolvam seus alunos.


Como um dos modelos mais duradouros (que apareceu pela primeira vez em 1975), conseguiu evoluir para um ator-chave no que diz respeito ao design instrucional. Algo que nenhum outro modelo conseguiu alcançar até agora.


Se você curtiu o artigo e quer ver mais sobre Design Instrucional e suas aplicações, dicas de cursos ou mesmo precisa de ajuda para implementar um projeto de educação a distância, deixe nos comentários, compartilhe ou entre em contato aqui no site.


Até a próxima!


Traduzido e adaptado de “ADDIE Training Model: What Is It and How Can You Use It?” de Aris Apostolopoulos (https://www.talentlms.com/)

Todos os direitos reservados Filipe Adão | E-learning & Design © 2020

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube