• Filipe Adão

Princípio da Contiguidade: Mantenha os Elementos Gráficos e Texto Relacionado Juntos

Atualizado: Abr 10

Entenda como otimizar a disposição da informação nas imagens pode potencializar a aquisição de conhecimento em quase 70%.

No artigo Princípio da multimídia: adicionar elementos gráficos a palavras melhora o aprendizado, falamos sobre como as pesquisas que Mayer e Clark apresentam em seu livro E-Learning and the Science of Instruction mostram que misturar palavras e gráficos pode ser benéfico para os alunos. Mas isso é apenas a ponta do iceberg! Eles também fornecem ideias sobre como posicionar gráficos e textos relacionados para obter melhores resultados, que é o que examinaremos mais de perto neste artigo.


O que é o princípio da contiguidade?


A pesquisa de Mayer diz que o aprendizado melhora quando as imagens e o texto relacionado são mantidos juntos - ou contíguos (daí o nome do princípio da contiguidade). O mesmo vale para o áudio descritivo. Para um aprendizado eficaz, qualquer narração que descreva elementos na tela deve ser sincronizada com a aparência desses gráficos. As evidências descritas no livro mostram que o aprendizado melhora 68% quando as palavras e o visual que descrevem são apresentados próximos um do outro.


Faz sentido, certo? Se as palavras forem separadas dos gráficos relevantes, os alunos terão que trabalhar mais para estabelecer a conexão do que se estivessem combinados.


Aplicando o Princípio da Contiguidade


Então, como isso se parece na prática? Vamos dar um exemplo concreto:



A imagem acima não segue as práticas recomendadas descritas no princípio da contiguidade. Embora possa parecer arrumado quando organizado dessa maneira, colocar as etiquetas tão longe das partes do diagrama a que correspondem exige que os alunos se esforcem mais para combiná-las. Como a memória de trabalho é limitada, esse esforço extra retira a capacidade de aprender o próprio material. Agora vamos ver o mesmo diagrama com etiquetas integradas:



A imagem acima segue as regras descritas no princípio da contiguidade: os rótulos aparecem ao lado das partes relevantes do diagrama. Esta versão permite que os alunos identifiquem as partes do diagrama rapidamente, permitindo que eles se concentrem na compreensão do material, em vez de combinar as etiquetas com as partes correspondentes.


Às vezes, seguir essas orientações é mais fácil falar do que fazer, como, por exemplo, quando o espaço na tela é limitado ou o texto interfere no gráfico. Uma estratégia para situações como essas é usar marcadores para posicionar o texto relacionado perto de um gráfico sem sobrecarregar a tela - ou seus alunos. Aqui está um exemplo de como isso poderia ser, usando o mesmo gráfico acima:


Clique para visualizar a versão interativa .


Dessa forma, o texto relacionado está exatamente onde precisa estar, mas não desorganiza a tela. É o melhor dos dois mundos!


Tudo isso parece bastante lógico, certo? E isso é! Mas, mesmo assim, muitos de nós somos culpados de não aplicá-lo em nossos cursos. Além de rotular os gráficos diretamente, em vez de usar chaves ou legendas, verifique esta lista de tarefas e “não-tarefas” para evitar cometer alguns dos erros mais comuns em relação ao princípio da contiguidade.



Você é culpado de algum desses erros comuns? Se assim for, você não está sozinho! A chave é começar a pensar nesses "não fazer" ao criar novos cursos, para que você possa fazer a coisa certa no futuro.


Se você estiver interessado em aprender mais sobre o design de e-learning, não deixe de conferir os outros artigos desta série.


Série: Prinípios de Clark e Mayer

Até o próximo post!

Traduzido e adaptado da comunidade E-learning Heroes.

Todos os direitos reservados Filipe Adão | E-learning & Design © 2020

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube